Especialistas apontam os erros e os acertos na busca por fios lisos

Alessandra Quedi 8 de janeiro de 2009 5

texto: Márcia Britto
fotos: divulgação

gaby_de_costas_lisos

Escova progressiva, definitiva, japonesa, francesa, secador, chapinha e prancha. Eis algumas das muitas formas de deixar os cabelos lisos e lindos. Mas quais realmente funcionam? Que riscos oferecem? Assim como os métodos, as dúvidas parecem infinitas. Para esclarecê-las, conversamos com médicos e especialistas.

Escova progressiva, definitiva, japonesa, francesa, secador, chapinha e prancha. Eis algumas das muitas formas de deixar os cabelos lisos e lindos. Mas quais realmente funcionam? Que riscos oferecem? Assim como os métodos, as dúvidas parecem infinitas. Para esclarecê-las, conversamos com médicos e especialistas.

A primeira incógnita refere-se ao que determina a textura dos cabelos. Por que uns são lisos e outros crespos? Será que filhos de pais com cabelos lisos também os terão? Valcinir Bedin, médico visitante da Universidade Vadois–Lausanne, na Suíça, e presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo, esclarece que a genética determina como serão os cabelos. “Mas isso não quer dizer que pais com cabelos lisos só terão filhos com essa característica. O que origina a forma e o crescimento dos fios são oito pares de genes, que ao se combinarem podem trazer características dos pais, dos avós, dos bisavós”, explica.

O médico lembra que, quando alteramos a forma dos cabelos, mexemos com a parte interna, e isso não é totalmente saudável. Daí a importância de escolher produtos com origem e qualidade conhecidas. A boa notícia é que é improvável que o procedimento provoque calvície, já que, assim como o tipo dos fios, ela também é genética. “Nada que for feito externamente causará calvície. O que pode ocorrer é uma fragilização que provoca a quebra dos cabelos, parecendo queda”, assegura Valcinir.

E qual dos métodos é o melhor ou o mais indicado para os cabelos? É importante conhecer os ingredientes de cada tipo de alisamento, relaxamento ou escova progressiva. Na maioria dos casos, os produtos têm como base o hidróxido de sódio, a guanidina ou o tioglicolato de amônia.

Cléber Pacheco, técnico da ProArt, fabricante de acessórios para cabelos, descreve cada uma dessas substâncias:

Hidróxido de sódio: proporciona alisamento. É ideal para cabelos crespos e age mais rapidamente que os demais.
Guanidina: proporciona relaxamento. É recomendada para fios ondulados e precisa de mais tempo para agir.
Tioglicolato de amônia: relaxa os fios e proporciona definição aos cachos. É mais lento e requer um tempo maior de trabalho.

O uso de qualquer um desses ingredientes resulta na quebra das pontes que seguram a queratina dentro do córtex do fio. “Nos fios lisos, a queratina já está homogeneamente distribuída. Nos demais tipos, é dado um novo estilo ao cabelo ao se rearranjarem as fibras de queratina”, explica Valcinir.

Isso não significa que os alisamentos condenam os fios a estragos bruscos. Complicações com esse procedimento, como queda de cabelo, não fazem parte da rotina atual dos salões de beleza. “A quebra total dos fios ocorria porque não havia conhecimento a respeito das técnicas de utilização dos produtos existentes.
Já faz muito tempo que não vejo esse problema”, completa o médico.

Essa opinião é compartilhada por Joana Silva, supervisora técnica da Wella Professionals. “Produtos de alisamento que têm qualidade não provocam queda, só se forem aplicados com técnicas inadequadas”, diz. Joana defende que se mantenha o mesmo princípio ativo nas aplicações subseqüentes. “No caso de mudança, é preciso testar as substâncias compatíveis.”

Cecília Meireles Oliveira, do departamento de educação da Matrix, também ressalta a importância de manter o mesmo tipo de ativo nos processos de alisamento. “Tioglicolato não é compatível com sódio ou guanidina. Se usados no mesmo cabelo, podem quebrar os fios. Mesmo utilizando o mesmo ativo, é importante ter cuidado na aplicação, passando o produto somente no crescimento e protegendo o comprimento e as pontas”, alerta.

Mitos sobre alisamentos

Para alguns cabeleireiros, os alisamentos são uma espécie de capa que encobre os fios por determinado período e prejudica as madeixas. Silmara Araújo, técnica da Joico & Mediterrani e especialista em alisamentos, desfaz esse mito. “Os alisamentos não encobrem os fios. Eles alteram sua estrutura interna para apresentar um resultado de alisamento. Para ter um efeito liso duradouro, é necessário tratar, nutrir e reconstruir semanalmente os cabelos. Isso sim garante maior durabilidade e saúde”, afirma.

Silmara garante que os banhos de mar ou de piscina não reduzem a durabilidade dos alisamentos, apenas causam ressecamento nos fios. Ela também assegura que os xampus com sal não interferem na durabilidade do procedimento.

Depois de tomar todas as precauções, o objetivo é fazer o tratamento durar pelo maior tempo possível. Paulo Rogério, técnico da Semo Cosmetic, diz que a principal recomendação é seguir as instruções do cabeleireiro, pois para cada tipo de fio há um procedimento indicado. “O profissional é o médico do cabelo. Os fios têm inúmeros estados de ‘saúde’”, comenta. De maneira geral, ele indica produtos para manutenção da saúde capilar e tratamentos como cauterizações, reconstruções e hidratações, semanais ou quinzenais

“Tioglicolato não é compatível com sódio ou guanidina. Se usados no mesmo cabelo, podem quebrar os fios.”
Cecília Meireles Oliveira

“Produtos de alisamento que têm qualidade não provocam queda, só se forem aplicados com técnicas inadequadas.”
Joana Silva

5 Comentários »

  1. marcos 24 de setembro de 2011 at 18:30 - Responder

    relaxamento de guanidina e progressiva,os produtos são os mesmos, o que muda é o processo e o tempo. quanto a agredir menos o cabelo,todos os dois processos agridem o cabelo..

  2. Naiara guedes 18 de julho de 2009 at 09:11 - Responder

    eu gostaria de saber qual a progressiva indicada, para cabelo com relaxamento a base de guanidina, eu queria parar de fazer relaxamento e fazer so a progressiva, pq ela agride menos o cabelo. por favor me de a resposta.

  3. Eliane 3 de julho de 2009 at 14:03 - Responder

    Faço progressiva com tioglicolato,meu cabelo está se quebrando a ponto de deixar falhas.Por favor,me deêm uma dica de produtos para reconstrução.Obrigado.Aguardo anciosa a resposta.

  4. Clediane 9 de junho de 2009 at 13:48 - Responder

    me falaram que reconstrução capilar seria para alisar o cabelo. E processo seria para retirar em 15 minutos.E iria permanecer liso por em média de seis meses

Deixar uma Resposta »