Idades da pele: calendário do rejuvenescimento

Alessandra Quedi 13 de outubro de 2008 2

: : Zero – 10 anos

0-10.jpg

Quando o ser-humano nasce, tem a pele viçosa e saudável. No bebê, o colágeno é fino, por isso a pele é suave, pálida e muito vulnerável. A criança nunca tomou sol e as células pigmentares do organismo produzem pouca melanina. É nessa fase da vida que começamos a evitar o envelhecimento, visto que os efeitos dos raios solares sobre a pele humana são cumulativos.

Na primeira infância, o recomendável é um período curto de sol diariamente, até 10h da manhã. É um período em que qualquer variação na pele é ainda tratada pelo pediatra. De qualquer forma, até os dez anos, e ao longo de toda a vida, é recomendável o uso diário de protetor solar. Nessa fase, é adequado um FPS (fator de proteção solar) número 15.

O sol é cumulativo

Peça ao pediatra que indique também um hidratante suave. Nos primeiros dias, em que o bebê ainda é muito frágil e está se adaptando à sua chegada ao mundo, evite produtos químicos. O uso de fotoprotetores deve começar mesmo, e jamais ser interrompido, a partir dos seis anos. É importante saber que após os 25 anos o uso tópico de produtos adequados à pele é imprescindível para a boa aparência nos anos seguintes.

: : 10 – 20 anos

10-20.jpg

Nesse período, o uso de filtro solar continua. A grande mudança na vida do paciente chega com a adolescência, e o provável surgimento de uma manifestação considerada um pesadelo, em todas as idades: a acne. Para prevenir essa doença é necessário, já a partir dos dez anos, checar a tendência de oleosidade da pele do paciente e só indicar produtos (hidratantes, filtros solares ou outros) de acordo com essa característica.

Com a explosão hormonal, a partir da puberdade, há uma modificação nos folículos pilosebáceos (que produzem ou não a oleosidade da pele). É então que começa a se definir o tipo de pele do paciente. Nessa etapa, é necessário observar as primeiras manifestações da acne: os populares cravos e espinhas, que poderão surgir em variados graus. Nesse período, assim que houverem as primeiras incidências, deve-se procurar um dermatologista. Iniciar o tratamento assim que surge a acne evita manchas e marcas que poderão perdurar pelo resto da vida.

: : 20 – 30 anos

20-30.jpg

Aos 20 anos, a pele atingiu o ponto máximo de maturidade. Nessa fase da vida, por causa do equilíbrio hormonal, a pele já é relativamente estável. O paciente já conhece seu tipo de pele e a acne já deve ser um problema do passado. Considerada a fase áurea da pele, é uma idade em que a manutenção da vitalidade deve ser feita com higienização adequada (lavar manhã e noite, com sabonete específico para o tipo de pele), uso contínuo de hidratante, já associado ao filtro solar.

Nos períodos de verão, em que se intensifica a exposição ao sol, deve-se reaplicar o filtro solar a cada 60 minutos, se estiver na praia, piscinas ou em atividades ao ar liver. Já nessa fase, pode-se utilizar hidratante específico para as regiões ao redor dos olhos e da boca. As pálbebras têm a pele mais fina e pobre em glândulas sebáceas. Ao redor da boca, os movimentos aceleram as rugas, principalmente nos fumantes, que cria o que chamamos popularmente de código de barra ao redor do lábios. A área requer hidratação mais intensa e contínua.

: : 30 – 40 anos

30-40.jpg

Essa é a fase em que começam a se manifestar os sinais de envelhecimento. As rugas surgem a partir de movimentos faciais, sendo chamadas rugas de expressão. Por conseqüência, é o período em que se deve iniciar os cuidados com a pele, para prolongar o rejuvenescimento. Surgem as primeiras linhas finas, ao redor dos olhos e boca (principalmente nos fumantes). A pele começa a perder a elasticidade, principalmente nas pessoas que nunca fizeram uso de proteção contra os raios solares. É nessa fase que começamos a perceber os chamados efeitos cumulativos dos banhos de sol.

Recomendações para pacientes de ambos os sexos, que chegam a essa faixa-etária: procurar um dermatologista de sua confiança para iniciar os tratamentos que vão tentar neutralizar sintomas do envelhecimento da pele. Só um médico credenciado deve receitar produtos, para uso tópico ou oral. Nunca se automedique.

Nessa idade, é a fase em que entram em cena recursos como o uso tópico de vitamina C, através dos produtos hidatantes. A vitamina C estimula a produção de colágeno, é anti-oxidante (neutraliza radicais livres) e é fotoprotetora. A ingestão de vitamina C não substitui o tratamento tópico. Regiões de uso mais freqüente da substância: rosto, colo e pescoço. Há também outros tratamentos, na cosmiatria, que procuram corrigir os desgastes do tempo.

– Aplicação de toxina botulínica para correção de rugas de expressão, nas regiões de testa, ao redor dos olhos, entre as sobrancelhas, rugas no lábio superior, pescoço e colo.

– Uso de substâncias preenchedoras para amenizar as rugas. Regiões: em volta dos olhos e sulco nasogeniano (que vai do nariz à boca, o chamado bigode chinês).

– Uso de luz intensa pulsada, que estimula produção de colágeno e, assim, rejuvenesce a pele.

: : 40 – 50 anos

40-50.jpg

As rugas que se iniciaram a partir dos 30, se acentuam nessa fase da vida. A fisionomia passa a adquirir sinais dos tempos, mesmo com a musculatura relaxada. Nessa fase, os sinais de envelhecimento tornam-se evidentes. Uma noite mal-dormida, expressão de cansaço, bolsa ao redor dos olhos, estresse são sintomas aparentes, cuja recuperação torna-se mais difícil. As manchas de senilidade também se iniciam. Para as mulheres, coincide com o início da menopausa, em que a redução do hormônio estrogênio torna a pele fina, seca, desidratada e com perda de elasticidade.

A gama de alternativas de tratamentos de rejuvenescimento aumenta. Além da medidas já adotadas a partir dos 30, há outras terapias:

– Aplicações de Fraxel Laser, que estimula o colágeno, fecha poros, trata rugas finas, ameniza manchas e dá mais viço à pele.

– Tratamentos com Accent e Thermacool (rejuvenescimento por radiofreqüência), indicados para flacidez, pois provoca retração do colágeno

– No caso das mulheres, é a fase em que se inicia a reposição hormonal, acompanhada por um médico especialista no assunto.

: : Acima dos 50

50-70.jpg

A partir dessa faixa-etária, é critério do médico se vai realizar ou não procedimentos cosmiátricos no paciente. Nessa fase, o envelhecimento não é apenas da pele. O paciente já perdeu tecido ósseo, gordura, houve degeneração do colágeno, perda de elasticidade, perda de água nas células, entre outras seqüelas da idade. Fica a critério do dermatologista, a partir de avaliação minuciosa das características do paciente, levando em conta vantagens e desvantagens de cada procedimento.

Nessa etapa, o médico tem que avaliar se a cosmiatria será eficaz, ou se é preferível encaminhar o paciente para um cirurgião plástico, com indicação de lifting facial. Muitas vezes, um diagnóstico criterioso pode até contrariar as expectativas do paciente. Mas a avaliação do especialista considera as melhores alternativas, à luz da ciência e da experiência, a curto, médio e longo prazos.

Por Dr. Ricardo Fenelon

2 Comentários »

  1. Cláudio e Araujo 29 de outubro de 2008 at 07:03 - Responder

    k cena!! Nem as cotas teeeeeem juizo!!!

    Sinceramente!!!!

    KAKAKAKAKAKAKAKAKA

  2. Diana e Carolina 29 de outubro de 2008 at 06:55 - Responder

    ate as velhas tem a cara mais conservada do que a canalha!!!!!~~

    Parabéns!

Deixar uma Resposta »