Combatendo a gordura localizada consumindo os alimentos corretos

Alessandra Quedi 21 de agosto de 2012 0
Combatendo a gordura localizada consumindo os alimentos corretos

A causa do problema

Antes de combater o problema, é fundamental conhecer a sua causa. Por esse motivo, perguntamos à nutricionista Renata Fidelis Amorim quais são os fatores que desencadeiam e contribuem para o acúmulo de gorduras em determinadas regiões do corpo.

A especialista explica que os excessos na alimentação são uma das principais causas. Ingerir alimentos quando não se tem fome faz com que as pessoas acabem comendo mais do que o necessário e, assim, passem a reter gorduras. Outro motivo é o aumento do consumo de gorduras ruins, como a saturada, trans ou até mesmo a hidrogenada. Por isso, fique de olho na composição dos alimentos que você consome regularmente.

Além da alimentação, existem fatores genéticos que podem favorecer o aparecimento de pneuzinhos. O biotipo de cada pessoa contribui para que as gordurinhas se acumulem em alguns lugares. As mulheres com o chamado corpo “pera” têm tendência a apresentar acúmulos na região do quadril, enquanto as mulheres “maçã” somam medidas na cintura, que também pode ter algumas gordurinhas a mais, explica a nutricionista.

O avanço da idade, as alterações hormonais e um estilo de vida sedentário também estão entre os fatores de risco citados pela especialista por contribuírem grandemente para o surgimento das gorduras localizadas.

O segredo está nas fibras

A nutricionista Renata Fidelis Amorim chama a atenção para o fato de que é preciso ter uma alimentação equilibrada para que o organismo funcione de maneira adequada. Entre todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo, a especialista elege as fibras como as principais aliadas no combate às gordurinhas.

Além de seguir uma dieta rica em vitaminas, minerais, antioxidantes e gorduras boas, a nutricionista destaca que é fundamental ingerir fibras. Segundo Renata, as fibras presentes em determinados alimentos ajudam na digestão e melhoram o trânsito intestinal. Então, uma vez que o aparelho digestivo está funcionando perfeitamente, o organismo é capaz de eliminar toxinas e, assim, permitir que o corpo todo trabalhe em equilíbrio.

Contudo, é preciso lembrar que apenas uma alimentação saudável não fará milagres pelo seu corpo. A nutricionista lembra que quem deseja perder peso e eliminar as gordurinhas precisa investir em uma rotina regular de exercícios físicos. Ao combinar uma alimentação balanceada com a prática de exercícios, você estimula todo o seu organismo, potencializa as funções metabólicas e fortalece o sistema cardiovascular, proporcionando saúde para o seu corpo todo, explica Renata.

Os aliados no combate às gordurinhas

Agora que você sabe o que faz com que aquele pneuzinho indesejado apareça e também sabe que uma alimentação correta pode contribuir muito para o seu corpo, basta ter essa listinha em mãos na próxima vez que for ao supermercado.

Abacate

A nutricionista Renata Fidelis Amorim explica que a fruta contém gordura monoinsaturada, que é um tipo de gordura boa para o organismo, pois ajuda a aumentar o HDL, ou seja, o colesterol bom. A especialista indica o consumo diário de uma porção de 60 gramas.

Abacaxi

A fruta é uma ótima fonte de vitamina C e fibras. No entanto, a nutricionista destaca a presença de uma enzima chamada bromelina, que ajuda a fazer a quebra das proteínas e, assim, contribui para uma boa digestão.

Açaí

Alimento riquíssimo em flavonoides, o açaí também apresenta potássio e proteínas. É uma fruta altamente nutritiva, mas também é calórica, então a nutricionista recomenda o consumo com moderação.

Aveia

Renata Fidelis Amorim aponta que os benefícios da aveia vêm de um composto chamado beta glucana. Ela explica que a substância ajuda no controle da glicemia, age na redução do colesterol total e ainda melhora o funcionamento do intestino, contribuindo para a eliminação das gordurinhas indesejadas.

Azeite de oliva

A especialista ressalta que 30% da alimentação humana deve ser composta de gorduras. Desses, 10% devem ser poliinsaturadas, grupo do qual o azeite de oliva faz parte. A versão extravirgem do alimento melhora os níveis de colesterol geral, LDL (ruim) e HDL (bom).

Brócolis

Além de ser rico em ferro e cálcio e ajudar grandemente na prevenção de anemias, a especialista destaca o produto por ser uma excelente fonte de fibras e contribuir para o funcionamento intestinal.

Chá verde

A nutricionista comenta que existem estudos que comprovam a eficácia da ingestão do chá verde e sua relação com a melhora dos níveis de colesterol total e colesterol ruim. Ainda, notou-se a ação da bebida na redução da circunferência abdominal.

Chia

As pequenas sementes integrais originárias do México são uma excelente fonte de ômega-3 e ômega-6, substâncias muito eficazes na redução das triglicérides, um dos grandes responsáveis pelo acúmulo de gorduras. Também possuem magnésio, potássio, ferro e fibras. A especialista ainda revela um segredo: as sementinhas aumentam de volume no estômago e provocam a sensação de saciedade, o que contribui para que você não coma mais do que o necessário.

Chocolate

A guloseima possui propriedades antioxidantes graças aos flavonoides provenientes do cacau, contribuindo para a prevenção de doenças cardiovasculares. O doce ainda aumenta a taxa de serotonina, trazendo uma sensação de bem estar. No entanto, para aproveitar todos esses benefícios, Renata Fidelis Amorim alerta que é preciso consumir versões amargas ou meio amargas que contenham de 70% a 85% de cacau. Já as versões brancas e ao leite apresentam altas quantidades de gorduras saturadas, que aumentam o colesterol e também pesam mais na balança.

Frutas vermelhas

Além de serem fonte de vitaminas, a especialista aponta que framboesas, morangos, amoras e cerejas são frutas ricas em antioxidantes, que aumentam a imunidade e resistência do organismo e também agem na eliminação dos radicais livres.

Iogurte

Renata Fidelis Amorim aponta que o benefício dos alimentos probióticos, como o iogurte, está em proporcionar o equilíbrio da flora intestinal. O alimento tem o poder de aumentar a quantidade de bactérias benéficas presentes no organismo e, ao mesmo tempo, eliminar as bactérias nocivas. Assim, eles agem na prevenção do câncer e fortalecem o sistema imunológico. Contudo, é preciso ficar atenta à dica da nutricionista: o consumo dos alimentos probióticos deve estar associado a uma alimentação balanceada para surtir efeito. Com a flora intestinal equilibrada, o seu organismo trabalha melhor e tudo passa a funcionar de maneira equilibrada.

Linhaça

O cereal integral é rico em fibras, proteínas, vitaminas do complexo B, além de ômega-3 e ômega-6. Assim como a chia, ajuda no controle do colesterol e contribui consideravelmente para redução das triglicérides, combatendo o acúmulo de gorduras indesejadas.

Pimenta

A nutricionista ressalta que existem estudos científicos que comprovam os benefícios da pimenta para a circulação sanguínea, o que é fundamental para a queima de gorduras. O alimento também é fonte de vitamina A e C, além de conter antioxidantes. Renata Fidelis Amorim ainda revela uma curiosidade: quando a pimenta entra em contato com a língua, seu gosto forte e picante contribui para o aumento da produção de endorfina, que resulta em uma sensação de bem estar. Para melhores resultados, a especialista recomenda o consumo de pimenta fresca.

Quinua

Semelhante à aveia e à linhaça, a quinua é rica em gorduras saudáveis e é recomendada principalmente por apresentar uma alta concentração de fibras. A dica da nutricionista é consumir o grão junto com saladas e risotos.

Fonte: TodaEla

Deixar uma Resposta »