Ivete Sangalo x Claudia Leitte: qual é a voz mais forte do Carnaval baiano?10.jul

Alessandra Quedi 18 de fevereiro de 2012 0
Ivete Sangalo x Claudia Leitte: qual é a voz mais forte do Carnaval baiano?10.jul

Elas têm praticamente a mesma voz e a mesma trajetória: das bandas de axé à carreira solo no mesmíssimo gênero musical. Fazem sucesso na mesma faixa de FMs e ainda buscam espaço, ao mesmo tempo, entre as estrelas internacionais. Não apenas para fazer carreira lá fora: elas também querem adicionar aos seus grupos de amigos astros como Beyoncé, Nelly Furtado e Ricky Martin. Apesar das semelhanças, uma jura que não se espelha na outra. E, apesar das histórias de rivalidade nos bastidores, natural no caso de figuras tão parecidas, elas garantem que se adoram. Confira, em detalhes, o que une e o que separa Claudia Leitte de Ivete Sangalo, as duas vozes fortes no Carnaval de Salvador.

TRAJETÓRIA

Ivete é baiana da gema. Nasceu em 1972 em Juazeiro, divisa com Pernambuco, em uma família de músicos. Aos 17, se mudou para Salvador, onde passou a se apresentar em bares até alcançar a fama como vocalista da Banda Eva, nos anos 1990. Em 1999, assumiu o comando da carreira e mergulhou em empreitada solo, administrando os próprios passos (leia mais abaixo, no campo Negócios). Foi um estouro atrás do outro. Logo no primeiro CD, emplacou hits como Canibal (composto pela própria Ivete Sangalo) e Se Eu Não te Amasse Tanto Assim (Paulo Sérgio Valle / Herbert Vianna). Depois, em meio a shows no país e no exterior, vieram sucessos como Festa, hino do pentacampeonato mundial de futebol, conquistado pelo Brasil em 2002, na Coreia do Sul e no Japão.

Apesar de sua baianidade nagô, Claudia Leitte é na verdade uma fluminense temperadinha com dendê. Nasceu em 1980 em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, e se mudou para a Bahia com poucos dias de vida. Foi lá que rapidamente se descobriu cantora. Aos três anos, ela driblou os pais para cantar numa churrascaria – um truque diferente do utilizado em 2002, quando arrancou o microfone da mão de Ivete Sangalo, que cantava e lhe concedia uma entrevista em cima de um trio elétrico, confira aqui o vídeo. Em 2008, após sete anos como vocalista do grupo Babado Novo, partiu para carreira solo, mas emplacou poucos hits, como Amor Perfeito (Michael Sulivan e Paulo Massadas), já gravada por Roberto Carlos e Beijar na Boca (Blanch Van Gogh e Roger Tom), talvez o maior deles.

 MÚSICA

Ivete já arrastou multidões com seu vozeirão – só no Maracanã, em 2006, foram mais de 800.000 pessoas – e não deixa dúvidas quanto à sua capacidade musical. Atinge graves e agudos em canções de ritmo acelerado e mantém o pique mesmo pulando sem parar. Seu estilo mais viril e menos menininha é impresso também em sua forma racional de administrar os negócios, apesar das brincadeiras molecas que lhe garantem carisma em cima do palco. Em quinze anos de carreira, criou vários hits, como Poeira, Sorte e Me Abraça e me Beija, capazes de consolidar sua marca e ampliar seu público.

A voz é suavemente mais fina, mas não impede a cantora de soar como genérico de Ivete Sangalo. Que, por sua vez, pode ser entendida como transição ou meio-termo entre a pegada forte de Margareth Menezes e a sensualidade aflorada de Claudia. A ex-vocalista do Babado Novo faz o tipo menina-mulher, que investe na postura sexy para atrair os fãs. O rosto angelical, os cabelos longos e loiros e esvoaçantes e o corpo malhado fazem com que a beleza quase ofusque a sua música. Os aficionados podem discordar, mas a realidade é que a sua discografia tem poucos sucessos de “levantar poeira”, como Bolha de Sabão.

NEGÓCIOS

Na estrada há muitos anos, como diz a canção, a baiana se consolidou como expoente máximo do axé, atingindo números de vendas que suas rivais não conseguiram bater. No final de 2010, sua gravadora, a Universal Music, anunciou ter pré-vendido 300.000 cópias do CD e DVD gravados no Madison Square Garden – marca boa em tempos de pirataria generalizada. Para gerir a carreira e a agenda de shows, Ivete tem uma empresa própria e um jatinho particular, o Citation SII. Faz carreira também na publicidade, estrelando campanhas de cerveja, sapato, companhia aérea e outros produtos.

Ex-colega de gravadora de Ivete Sangalo, Claudia Leitte saiu da sombra da rival em 2009, quando, após o estouro do sucesso Beijar na Boca, trocou a Universal pela Sony Music. No ano seguinte, compraria um jatinho para chamar de seu – com anos de atraso em relação a Ivete. Claudia viaja a bordo de um Phenom, fabricado pela Embraer, mais arejado e moderno do que o Citation SII. No ramo publicitário, também marca presença. É garota-propaganda de uma marca de refrigerante e emprestou o hit Beijar na Boca para a campanha de um canal pago. Também tem empresa própria para gerir os seus negócios.

EXTERIOR

A carreira internacional da musa do axé baiano teve início em 2004, quando, apesar da estranheza causada pelo nome do evento, ela participou do Rock in Rio Lisboa, em Portugal. Em 2010, a investida em palcos estrangeiros teve seu ápice, com um show no Madison Square Garden, importante casa de espetáculos de Nova York. A apresentação contou com o brasileiro Seu Jorge e com a canadense Nelly Furtado. Além de insistir em se lançar fora do Brasil, Ivete investe em trazer estrelas internacionais para o país. Foi o caso de Beyoncé, contratada por sua empresa, a Caco de Telha, para shows no início de 2010 – alguns deles abertos pela própria Ivete. No campo dos prêmios, têm diversas indicações ao Grammy: só em 2009, foram quatro.

A estreia nos palcos internacionais aconteceu ainda quando estava à frente do Babado Novo, em meados da primeira década dos anos 2000. Em 2007, o grupo se apresentou em Nova York, no Brazilian Day, evento realizado e televisionado pela Globo. Em 2010, já em carreira solo, a cantora foi indicada ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo e apresentou uma das categorias da premiação. Na viagem aos Estados Unidos, conheceu o fenômeno porto-riquenho Ricky Martin, com quem fecharia uma parceria em Samba, faixa do último disco do cantor – e, por que não, espécie de cartão de visita de Claudia Leitte no exterior. Às vésperas do Carnaval, boatos davam conta de que ele poderia pousar no trio dela.

TWITTER

Com mais de 2 milhões de seguidores, a baiana é a terceira personalidade mais influente no Twitter do Brasil. Perde apenas para o jogador Kaká, com quase 3 milhões de seguidores, e para o apresentador Luciano Huck, com 2,7 milhões*. E sabe fazer dessa influência uma vitrine para a divulgação do seu trabalho e um canal de relacionamento com os fãs. Apesar da rotina de ensaios, shows, entrevistas, família e academia de ginástica, Ivete sempre arruma um tempinho para tuitar – ela garante que é ela mesma quem escreve as mensagens, quase sempre temperadas com expressões baianas como “coisa massa” e “bote pra lenhar”.

* números registrados em 3 de março de 2011, às vésperas do Carnaval

A ex-vocalista do Babado Novo não é tão influente quanto Ivete Sangalo na rede de microblogs, mas não faz feio. Com 1,5 milhão de seguidores, ocupa o décimo lugar no ranking de personalidades brasileiras mais seguidas na internet, atrás de estrelas de brilho médio, como Marco Luque e Sabrina Sato, mas à frente do perfil patrocinado de Ronaldo e do “tio” William Bonner. Um detalhe curioso: Claudia Leitte pode dizer que não segue os passos de Ivete Sangalo, mas no Twitter ela debutou 20 dias após a baiana, em 24 de dezembro de 2008. Outro detalhe: embora garantam que se adoram, uma não segue a outra na rede social.

* números registrados em 3 de março de 2011, às vésperas do Carnaval

CARA A CARA

“As agendas não permitem que a gente se encontre, mas não é verdade que somos brigadas. De alguma maneira, essa história rende frutos para alguém. Não existe ódio, existe carinho.”

“Não tem nada a ver ficar nos comparando, mas todo mundo continua fazendo isso. Acho que as pessoas só fazem para chamar a atenção para a questão, para criar uma coisa sobre isso.”

A ex-vocalista do Babado Novo não é tão influente quanto Ivete Sangalo na rede de microblogs, mas não faz feio. Com 1,5 milhão de seguidores, ocupa o décimo lugar no ranking de personalidades brasileiras mais seguidas na internet, atrás de estrelas de brilho médio, como Marco Luque e Sabrina Sato, mas à frente do perfil patrocinado de Ronaldo e do “tio” William Bonner. Um detalhe curioso: Claudia Leitte pode dizer que não segue os passos de Ivete Sangalo, mas no Twitter ela debutou 20 dias após a baiana, em 24 de dezembro de 2008. Outro detalhe: embora garantam que se adoram, uma não segue a outra na rede social.

* números registrados em 3 de março de 2011, às vésperas do Carnaval

Fonte: Veja.abril

Deixar uma Resposta »