Aproveite a borra de café para evitar a “Dengue”

Alessandra Quedi 24 de novembro de 2011 0
Aproveite a borra de café para evitar a “Dengue”

A borra do café (café depois de coado) produz um efeito que bloqueia a postura e o desenvolvimento dos ovos do Aeds Aegypti. Duas colheres de sopa de borra de café para cada meio copo de água, a finalidade da mistura é eliminar a pureza da água que acumula em vasos de plantas e na qual se reproduz o temível mosquito.
A borra depositada nos pratinhos e reservas de agua de plantas impede que o mosquito transmissor da dengue ponha seus ovos.
Outra receita, usá-la diretamente nos vasos, sem a diluição em água, desta maneira, você estará adubando de forma ecológica as plantas, a diluição da borra de café vai acontecer naturalmente, na medida em que a planta for regada. Não se esqueça de que a borra de café pode ser aplicada também em outros locais da casa, que acumulem agua como, por exemplo, nos ralos e até mesmo na terra do jardim ou poças que se formam com a agua da chuva.

Medidas preventivas para o controle do mosquito: evitar agua parada, esvaziar e escovar paredes internas de recipientes que acumulam agua, manter totalmente cisternas e caixas d’águas, furar pneus e guardá-los em lugares protegidos das chuvas, guardar latas e garrafas emborcadas para não reter agua, limpar periodicamente calhas de telhados, marquises e rebaixos de banheiros e cozinhas; drenar terrenos onde ocorra formação de poças, não acumular latas pneus e garrafas; encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terrenos, colocar peixes barrigudinhos em charcos, lagoas ou agua que não possa ser drenada; não despejar lixo em valas e margens de córregos e riachos, não cultivar plantas aquáticas.

As larvas do Aeds Aegypti se desenvolvem em aguas paradas limpas ou sujas e se alimentam nas partículas nelas encontradas, na fase do acasalamento, para garantir o desenvolvimento dos ovos, as fêmeas necessitam de sangue. É nesta fase que ocorre a transmissão das doenças, A fêmea pica uma pessoa infectada, mantem o vírus na saliva e o retransmite indefinidamente.

Plantio de crotalária: ciclo vegetativo 120 a 150 dias; altura da planta de 1m a 2,5 mts.; espaçamento de plantio de 0,5m a 1m; profundidade de plantio 3cm.
A planta tem flores que atraem as libélulas, que por sua vez alimentam-se das larvas e do mosquito adulto do Aeds, que é o mosquito da dengue. A crotalária é uma planta bonita e de fácil cultivo.

Medidas preventivas para o controle do mosquito: evitar agua parada, esvaziar e escovar paredes internas de recipientes que acumulam agua, manter totalmente cisternas e caixas d’águas, furar pneus e guardá-los em lugares protegidos das chuvas, guardar latas e garrafas emborcadas para não reter agua, limpar periodicamente calhas de telhados, marquises e rebaixos de banheiros e cozinhas; drenar terrenos onde ocorra formação de poças, não acumular latas pneus e garrafas; encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terrenos, colocar peixes barrigudinhos em charcos, lagoas ou agua que não possa ser drenada; não despejar lixo em valas e margens de córregos e riachos, não cultivar plantas aquáticas.

As larvas do Aeds Aegypti se desenvolvem em aguas paradas limpas ou sujas e se alimentam nas partículas nelas encontradas, na fase o acasalamento, para garantir o desenvolvimento dos ovos, as femes necessitam de sangue. É nesta fase que ocorre a transmissão das doenças, A feme pica uma pessoa infectada, mantem o vírus na saliva e o retransmite indefinidamente.

Deixar uma Resposta »